quarta-feira, 30 de setembro de 2015

Não há ninguém maior que você




Você tem poder. É isso mesmo! Todos nós temos. E quando ganhamos a consciência desse poder, as forças do Universo trabalham a nosso favor e tudo caminha extraordinariamente bem. O grande problema é que geralmente nós nos encontramos divididos: uma parte de nós caminha e a outra fica, pois os medos e as inseguranças nos detêm.

    Uma coisa que nos faz perder o poder é a maldita vaidade. Vaidade é a ilusão de que eu vivo com o que é do outro. É infantilidade, dependência, falta de foco em si mesmo. Quer ver? Você já deve ter ouvido esta frase: “Se você me amar, serei feliz”. É uma mentira! Ninguém sente dentro de si o amor do outro. Outro exemplo: “Quando todo mundo me aceitar, me sentirei maravilhosa”. Nada disso! Só quando você se aceitar é que realmente vai se sentir plena.

    Você vive com aquilo que tem – suas emoções, seus sentimentos, sua cabeça -, não com o que é do outro. É um erro passar a maior parte da vida submetido à aprovação e ao apoio do outro. A gente incorpora um personagem qualquer e sacrifica o próprio espírito. E vou mais longe: quanto mais poder você dá à fofoca, mais ela vem. Quanto mais poder você dá às críticas ou às perdas, mais elas ocorrem. Se você dá poder aos outros, com certeza está se rebaixando. Preste atenção: ninguém é menor que ninguém. Pare com isso e mude já essa situação!

    Quanto mais importância e poder você der a seus objetivos, seus sentimentos e sua verdade, mais fortes eles ficarão. Respeitar-se é fundamental. Não importa se as pessoas te criticam ou te elogiam. O que importa é você para você! Reconheça que você é capaz de tudo. Sem ter a consciência do próprio poder, você fica com medo da vida, de não dar conta, de sofrer. Para se realizar, é preciso reverter esse quadro.

    Então, acorde! Recupere sua lucidez espiritual e liberte-se das imposições morais. Afinal, elas só nos mantêm pequenos e submissos. Jogue fora tudo que te deixa fraca, culpada, desprezada, resistindo ao seu verdadeiro anseio de vitória. É um grande trabalho, mas se você não investir em si mesma, quem o fará? Não há ninguém maior que você! Dê apoio integral a si mesma e sinta as mudanças acontecerem na sua vida. Quando você está no seu poder, você arrasa!

Por Luiz Gasparetto

Silenciar




Silenciar não é ficar sufocado, nem renunciar ao seu justo direito.
Sabe aquela estratégia fantástica da mente que cessa o radar e, por um tempo, deixa o problema solto, sem solução, por um tempo, repito, e apenas silencia e observa?
Num momento assim, a sabedoria cresce.
Você é capaz de perceber a sua mente funcionando como um radar, procurando soluções, respostas e a língua pronta para acionar o seu pensamento.
De repente, vem uma orientação interior para cessar esse radar por um tempo. 
Soltar. Largar. 
A filosofia zen chama a isso de “soltar para agarrar”… 
Tipo, soltar o problema para agarrar a solução. 
Posto que cesse a busca por um tempo, e apenas observe… 
Você espera, e no entanto, não alimenta expectativa. 
Algo brota em sua mente, você vê a saída, a melhor forma de se colocar, a decisão mais acertada. 
Quando se trata da mente, nada é fácil, porque exige treino. 
Se você encarar como uma brincadeira secreta, esse treinamento pode ser muito divertido - silenciar e observar. 
Isso vale para resolver questões que te incomodam e até para descobrir o que é mais importante resolver primeiro. 
Treine… 

Nilsa Alarcon e J. C. Alarcon

(fonte:www.facebook.com/padraohumi)

Saudações

terça-feira, 29 de setembro de 2015

Presente


"Muitas pessoas tem o hábito de viver no passado ou viver no futuro.
 Mas o passado e o futuro não estão nas mãos delas. 
Elas acabam não apreciando nem o passado nem o futuro. 
Elas vivem num mundo de sonhos,imaginações e ilusões. 
Precisamos estar conscientes do presente. 
Precisamos tornar o momento presente o melhor momento. 
Este momento é resultado do momento que recém passou. 
Da mesma forma, o próximo momento será consequência do momento presente. 
Precisamos nos lembrar de estar presente no presente e apreciar a vida presente."

G. Surendran,Positive Life, 
Sapna book House,Bangalore

Brahma Kumaris

Namastê

Oração*Motivação


Que eu seja presente, entusiasmada e corajosa todos os dias, em todos os momentos, de todas as maneiras que eu puder.

Que eu gere e propague energia positiva e otimista aonde quer que eu vá, por onde quer que eu passe
.
Que não me faltem razões para acordar todos os dias da minha vida com vontade plena de viver e de fazer o bem aos outros e a mim mesma.

Que eu seja compassiva, porém firme nas minhas ações.

Que eu saiba ser exemplo de liderança para mim mesma, e que, ao me olhar no espelho, eu consiga enxergar com orgulho e admiração o ser humano que eu me tornei.

Que eu pratique o perdão.

Que eu saiba perdoar.

Que eu tenha força suficiente para me colocar de pé novamente e, quando for preciso, que eu saiba me refazer e me reconstruir.

Que a fé seja minha companheira inseparável guiando-me os passos, mesmo quando eu sentir que já não posso mais caminhar e que eu não carregue pesos desnecessários.

Que eu não seja envolvida por energias ruins.

Que eu conserve a minha sanidade e mantenha a minha paz em todos os momentos, em todos os lugares.

Que eu saiba reconhecer minhas fraquezas e transformá-las em fortalezas.

Que a minha luz seja tão intensa que no meu caminho não exista mais a escuridão.

Que eu seja lanterna para o caminho dos outros.

Que eu possa fazer valer a pena todos os dias da minha vida, levando esperança quando faltar a fé; levando alegria quando a tristeza chegar; levando coragem quando vier o medo; levando luz à escuridão, amor ao ódio, gratidão à ingratidão, otimismo ao pessimismo, energia vital à procrastinação.

Que eu seja, enfim, a mudança que eu quero ver no mundo, ciente de que vivi intensamente, amei profundamente e fui o melhor que eu podia ser.

Que eu seja verdadeira com o meu próprio EU. E que eu viva o propósito de ser eu mesma a cada segundo.

Que eu me respeite.

Que eu te respeite.

Que exista mais respeito no mundo.

Que assim seja.

Amém.

(fonte:sabiaspalavras.com)

segunda-feira, 28 de setembro de 2015

Para refletir...



Cada pensamento nosso,no qual colocamos crédito,provoca uma atitude. 
Nossas atitudes são frutos de nossas crenças. 
Agimos de acordo com elas. 
Cada atitude nossa movimenta as energias ao nosso redor e promove uma reação. 
É como quando estamos dentro de uma piscina. 
Qualquer gesto movimenta a água em ondas que vão e vêm,reagindo a nosso contato.
Estamos todos mergulhados na mente universal,como quando estamos dentro da água,cercados de energias. 

Elas são neutras. 
São nossas atitudes que lhes dão padrão e as projetam para o futuro,provocando reações dentro do sistema,que reage e responde,devolvendo o resultado.
Toda atitude nossa tem,portanto,uma resposta da vida. 

Mas como ela age sempre pelo melhor,essa situação não é definitiva. 
Quantas vezes vimos predições ruins que nunca se realizaram? 
É que as leis universais não agem para nos castigar ou punir. 
Em sua sabedoria,sabem que a punição ou o castigo nunca educaram ninguém. 
Ao contrário,quando modificamos nossas atitudes,elas apagam e substituem aquelas energias negativas que emitimos anteriormente pelas novas e melhores de agora. 
Com esse critério,aquelas reações dolorosas que estavam programadas em nossa vida são modificadas.

Zíbia Gasparetto

Amor,Luz e Paz

...acertar...


Na ânsia de acertar cometemos os piores erros.
Na ânsia de acertar muitas vezes nos perdemos no tempo,metemos os pés pelas mãos,falamos e fazemos o que não queríamos,desferimos a golpes de palavras quem mais amamos e por medo fugimos de responsabilidade de discernir.
São nestas fugas repentinas que não percebemos as perdas,os amigos que se vão,os sentimentos que se congelam,a humildade que se escoa,os valores que somem em meio a tantos atritos,conflitos,disse me disse, ofensas,atropelos,corridas desnecessárias,permitindo com que o tempo nos furte a doce sabedoria de sentir, conquistar,sorrir,viver,interagir,fazer amigos. 
É na ânsia de acertar que muitas vezes deixamos de ser nós mesmos. 
Mas nunca é tarde para soprarmos estrelas,espalhar brilhos,invadir corações e plantarmos o que temos de mais precioso o "amor ",nos entregarmos às maravilhas da vida,nos permitindo ser quem realmente somos e nunca esquecermos que recomeço faz parte do nosso próprio crescimento....
Crescer doi,mas transforma. 

Cecilia Sfalsin 

Fraternos Abraços

domingo, 27 de setembro de 2015

Invocando Energias a São Miguel Arcanjo


São Miguel Arcanjo
Peço que Alinhe cada aspecto do meu Ser,com as energias necessárias,para o meu crescimento espiritual, minha transformação física,meu desabrochar na Alegria e nas minhas Vitórias,nas Prosperidades e no plano material......
Recebo de Ti,amado Arcanjo de Amor,as energias Vitoriosas da Luz Ascensionária,a Luz da Visão do TODO.....
Da magia de Ser a plenitude Divina
Eu lhe Agradeço Grandioso São Miguel Arcanjo,por estar envolvida a Ti....
Eu Te Amo
Obrigado
Sou Recebendo......
Amém


Amor,Luz e Paz

Introspecção Reflexiva


Eu estou em um ponto de minha vida onde não preciso impressionar a ninguém.

Eu sou o que sou,não ligo para o que os outros pensam de mim.

Eu não preciso de disfarces,não preciso enganar ou fingir.

Porque posso ser quem eu realmente sou.

Não tenho necessidade de rir e fazer as pessoas acreditarem que nunca choro.

Eu não preciso ser sempre forte,nem sempre agradável.

Eu não preciso ser igual a ninguém,e,especialmente,me aceito como sou.

Com minhas virtudes,mas também com meus defeitos.

Porque não posso ser perfeito,mas sou sempre eu.

Aceito e amo quem eu sou e o que posso ser.

(Anônimo)

Amor,Luz e Paz

A grandeza das pessoas está nos detalhes


A grandeza de uma pessoa está nos pequenos detalhes que, a princípio, podem não parecer importantes. Pequenos detalhes moldam as pessoas em aço inesquecível, tornando-as pessoas únicas e excepcionais.
Estas não são pessoas que não têm medo de nada ou que não cometeram erros, mas são pessoas que sempre têm uma palavra amável, uma mão pronta para ajudar a construir um pensamento bom, prontas para fazer uma boa ação. Ou seja, são os pequenos detalhes que fazem a diferença nessas pessoas.
Elas entendem o valor de viver e compartilhar e não se intimidam pelos absurdos da sociedade. Digamos que essas pessoas freiam na hora certa e percebem que vivemos muito rápido.
Elas não destroem umas às outras com críticas ou expectativas, pois um dos “pequenos detalhes” que praticam é aceitar incondicionalmente o outro. Elas não apenas amam o mundo, mas o respeitam, pois são parte dele.

O grande dom da sensibilidade

Existem momentos inesquecíveis, coisas inexplicáveis ​​e pessoas incomparáveis.
Aproveitando-se de sua alta sensibilidade, essas pessoas sentem e pensam não considerando apenas a si mesmas, mas também o ambiente que as circunda. Elas têm uma grande capacidade de empatia para lidar com as emoções dos outros, e são muito protetoras. É isto o que as faz grandes e belas.
Não é que elas se caracterizem por uma alegria infinita e contagiante, mas a natureza delas lhes permite observar como o mundo funciona e entendê-lo um pouco melhor. Então, sempre têm um momento para ouvir, entender e esperar. Algo que os simples mortais não fazem muito bem.
Nos empenhamos em acelerar e acelerar para chegarmos antes do tempo, mas do que nos adianta chegar alguns minutos antes se ficamos tão cansados e nos esquecemos de que são as pequenas coisas que trazem os grandes resultados?
Pessoas bonitas são raras e não são conhecidas pelos seus rostos, mas sim por suas almas. São pessoas corajosas, simples por dentro e por fora, que vivem seriamente seus sentimentos e valorizam todas as coisas.

Os pequenos detalhes que nos fazem grandes

Todos nós somos únicos. No entanto, ser grande não é tão comum. São os pequenos detalhes que fazem grandes momentos e grandes pessoas. Somos facilmente esquecidos, mas é fácil fazer alguém se sentir especial. Aqui, oferecemos algumas ideias:
  • Sempre diga bom dia, boa tarde ou boa noite. Palavras muito simples que carregam um grande respeito por si mesmo e pelos outros. Alguém lhe desejar bom dia é um grande privilégio.
  • Não exiba uma felicidade hipócrita. Ou seja, não esteja sempre alegre e feliz apenas porque tem que estar, mas aceite as emoções e sentimentos que prevalecem em cada momento.
  • Não respeite apenas as suas emoções, mas também as emoções dos outros. Isso é muito importante. Pense em quantas vezes falamos algo de forma equivocada ou damos más notícias sem antes preparar a pessoa e medir as consequências. Nossas emoções não são tudo ou nada, elas devem ser cuidadosamente tratadas e devem seguir adequadamente o ritmo da música.
  • Os sorrisos sinceros, o calor das palavras, as carícias e as demonstrações sussurradas fazem com que nos sintamos especiais. Assim como as pessoas tóxicas são especialistas em estragar o dia dos outros, as grandes pessoas tendem a desenhar sorrisos, tornando feliz um dia difícil. Porque, afinal, a capacidade de fazer alguém se sentir feliz é o que torna esse alguém inesquecível.
A grandeza das pessoas não se mede pelo dinheiro, pelos seus estudos ou pela beleza. A grandeza das pessoas é medida pela lealdade do coração e pela humildade da alma. E mesmo que a vida possa vir a separá-lo dessas pessoas, você certamente já se tornou alguém melhor desde que as conheceu, e isso será eterno.
Claro que o conta aqui são as coisas comuns, mas não tenha dúvida de que são pelos pequenos detalhes da vida que conhecemos as grandes pessoas.

Por Rodrigo

(fonte:http://amenteemaravilhosa.com)

Um Final de Semana Abençoado e Iluminado a Todos



sábado, 26 de setembro de 2015

Reflexão


Busque crescer sem se apegar demais ao que você já construiu ou ao que já aprendeu.

Permita-se conhecer o novo,o diferente,o inusitado.

Permita-se conhecer-se de um novo ponto de vista.

Permita-se reconhecer que quer mudar e que o que tem até aqui já não lhe basta.

Tudo o que somos é parte de nós,do nosso aprendizado,e precisa estar exatamente onde está para que possamos transcendê-lo.

Somente ao percebermos e aceitarmos os nossos defeitos,e tentarmos Transformá-los é que,de fato, começamos a superá-los.

Veja o que eu disse TRANSFORMÁ-LOS e não eliminá-los,porque eles são parte da nossa consciência e não podem ser retirados,apenas mudados,trabalhados,superados e transformados em algo melhor.

(fonte:www.facebook.com/anapaula.s.franco)

Fraternos Abraços

10 lições de vida para aprender com Lao Tzu

 

1. Você carrega as respostas para todas as questões mais prementes da vida. Quando você olhar para dentro, vai encontrar tudo o que você precisa

“No centro de seu ser você tem a resposta; você sabe quem é e o que quer.”
“Conhecer os outros é inteligência; conhecer a si mesmo é a verdadeira sabedoria. Dominar o outro é força; dominar-se é o verdadeiro poder”.
“Quando eu deixar ir o que sou, eu me tornarei o que posso ser.”



2. Ao deixar ir, você se livra. Conquista a si mesmo e o mundo quando você permitir, e não lutar, contra a sua existência

“Ao deixar ir tudo é feito. O mundo é ganho por aqueles que deixam ir. Mas quando você tenta e tenta. O mundo está além do vencedor.”
“Se você quer se tornar todo, deixe-se ser parcial. Se você quer se tornar reto, deixe-se torto. Se você quer se tornar completo, deixe-se estar vazio. Se você quer renascer, deixe-se morrer. Se você quiser tudo, dê tudo.”

3. Etiquetas e desejos egoístas nunca irão lhe conceder o prazer de conhecer verdadeiramente a si mesmo

“Aquele que se define não pode saber quem realmente é.”
“Aquele que tem poder sobre os outros não pode capacitar-se.”
“Aquele que tenta brilhar escurece sua própria luz.”

4. O mal naturalmente desmorona quando você não lhe dá nenhuma atenção

“Dê ao mal nada para opor-se e ele vai desaparecer por si só.”

5. Bondade e compaixão pelos outros sempre vencerão no final, não importa por quanto tempo o mal reinar

“Trate aqueles que são bons com bondade, e também trate aqueles que não são bons com bondade. Assim o bem é conquistado. Seja honesto com aqueles que são honestos, e também com os não honestos. Assim a honestidade é conquistada.”
“A bondade nas palavras cria confiança. A bondade em pensamento cria profundidade. A bondade na doação cria amor.”
“Ser profundamente amado por alguém lhe dá força, enquanto amar alguém profundamente lhe dá coragem.”

6. Tenha a confiança para ser você mesmo sem se importar com que os outros pensam

“Preocupe-se com a aprovação das pessoas e você será seu prisioneiro.”
“Quando você está contente em ser simplesmente você mesmo e não comparar ou competir, todos te respeitam.”

7. Sabedoria e força por permanecer humilde

“O homem sábio é aquele que sabe, o que não sabe.”
“Todos os rios correm para o mar, porque ele é menor. A humildade lhe dá o poder.”

8. A mudança é inevitável, então abrace-a, mesmo que pareça desconfortável

“Se você perceber que todas as coisas mudam, não tentará se prender a nada. Se você não tem medo de morrer, não há nada que não possa alcançar.”
“Novos começos são muitas vezes disfarçados de dolorosos fins.”

9. Um grande líder percebe que não está acima de seus seguidores; mas que é meramente um deles

“O líder perverso é aquele que as pessoas desprezam. O bom líder é aquele que as pessoas reverenciam. O grande líder é aquele que as pessoas dizem, ‘Fomos nós que fizemos.”
“Se você quer governar o povo, deve colocar-se abaixo deles. Se você quiser guiar as pessoas, deve aprender a segui-las”.

10. Esforce-se para não fazer nada e não ser nada; aqui, vai encontrar a verdadeira felicidade

“Quando nada é feito, nada é deixado sem fazer.”
“Saúde é a maior posse. Contentamento é o maior tesouro. A confiança é o maior amigo. Não-ser é a maior alegria.”


Traduzido pela equipe de O Segredo
Fonte: Power Of Positivity
 (fonte:thesecret.tv.br)

Fraternos Abraços

sexta-feira, 25 de setembro de 2015

Tolerância


Tolerantes são os que conseguem se irritar muito pouco com a parte desagradável presente em suas atividades e nas pessoas com quem convivem.

Ser tolerante é enorme vantagem,pois lidar bem com quem não nos agrada facilita a vida social e o encontro daqueles que consideramos legais.

A tolerância tem a ver com a capacidade de respeitar diferenças de pontos de vista e de estilo de vida.Não ser pessoa crítica ajuda muito.

Nem sempre os anos favorecem a tolerância: pessoas mais velhas tendem a se tornar prepotentes e menos pacientes com os que não são como elas.

Por vezes a tolerância tem a ver com a humildade: não se achar pessoa tão especial cria condições favoráveis para um convívio diversificado.

Muitos se fazem de tolerantes apenas com o intuito de seduzir e cativar seus interlocutores.São falsos e movidos por interesses duvidosos.

Pessoas intolerantes sempre passam uma imagem de arrogância e superioridade,de quem se impacienta e se aborrece com as "tolices" que ouve.

Não é raro que os mais intolerantes se considerem (e alguns sejam) mais inteligentes e cultos que seus colegas.O sucesso não passa por aí!

Por Flávio Gikovate

Fraternos Abraços

Você é Presa Fácil Para Um Abusador?


Qualquer pessoa que interesse ou que convenha, fica na mira de sociopatas. Eles são atraídos por qualquer pessoa que possa fornecer-lhes suprimento narcísico. Mas se você estiver com seu "radar anti-narc" funcionando, sairá ileso rapiadamente. Existem pessoas, porém, que, por suas características pessoais, são mais suscetíveis a serem presa fácil para um perturbado.

Então observe: Você, seja homem ou mulher, é uma pessoa:
Cuidadora?
Doadora?
Empática?
Otimista?
Generosa?
Sonhadora?
Idealizadora?
Romântica?
Independente?
Solitária?
Bem sucedida?
Cheia de vida?
Sente-se facilmente culpada?
Tem dificuldade para dizer NÃO?
Tem dificuldade para impor limites?
Confiável e que confia facilmente?
Atraente, mas insegura?
Tem problemas de autoestima?
Está fora de uma relação estável?
Estável financeiramente?
Com boas aspirações para o futuro?
Mora só ou com filhos pequenos?
Acredita no bem da humanidade?
Querida pelos amigos e familiares?
Comprometida com sua palavra?
Teve a figura materna ou paterna emocionalmente ausente?

Se você respondeu sim para um número importante destas características, você pode ser uma presa fácil para sociopatas e abusadores em geral. Eles buscam em você aquilo eles não possuem e desejam para si, incluindo coisas materiais, mas não somente. Sua energia, seu sorriso, sua generosidade e empatia são coisas que eles desejam tomar de você. E com pouquíssimo tempo, conseguirão. Depois que você tiver dado o que tem e perdido seu brilho, você será LIXO DESCARTÁVEL.

Mas atenção! Esses perfis abusivos não largam de sua presa fácil e lançam mão de promessas e mímicas de bons comportamentos para que você não se distância antes que eles "terminem o trabalho".

E se você está dizendo para si mesmo "ah, mas eu que sempre vou atrás quando terminamos", pense duas vezes. Sociopatas são experts em manipular de modo que VOCÊ se movimente para voltar. Se você não o faz, logo passam a stalkear e a fazer promessas de amor eterno, vitimizando-se, dizendo-se abandonados, arrependidos ou inculcando-lhe culpa.

Fique alerta. Eduque-se e ao primeiro sinal de abuso, saia por uma porta que não seja possível abrir atrás de você. Feche o portal de comunicação e PRESERVE-SE!

Lucy Rocha

(fonte:www.facebook.com/NarcisismoPatologicoERelacoesToxicas)

Amor,Luz e Paz

quinta-feira, 24 de setembro de 2015

Cultivar a Felicidade

Desde os primórdios da humanidade, que o ser humano procura a felicidade como a terra seca clama pela água. É fácil conquistá-la? Nem sempre! Os poetas homenagearam-na, os romancistas descreveram-na, os filósofos contemplaram-na, mas grande parte deles saudaram-na apenas de longe.
Os reis tentaram dominá-la, mas ela não se submeteu ao poder deles. Os ricos tentaram comprá-la, mas ela não se deixou vender. Os intelectuais tentaram compreendê-la, mas ela confundiu-os. Os famosos tentaram fasciná-la, mas ela contou-lhes que preferia o anonimato. Os jovens disseram que ela lhes pertencia, mas ela disse-lhes que não se encontrava no prazer imediato, nem se deixava encontrar pelos que não pensavam nas consequências dos seus atos.
Alguns acreditaram que poderiam cultivá-la em laboratório. Isolaram-se do mundo e dos problemas da vida, mas a felicidade enviou um claro recado a dizer que ela apreciava o cheiro das pessoas e crescia no meio das dificuldades.
Outros tentaram cultivá-la com os avanços da ciência e da tecnologia, mas eis que a ciência e a tecnologia se multiplicaram e a tristeza e as mazelas da alma se expandiram.


Desesperados, muitos tentaram encontrar a felicidade em todos os cantos do mundo. Mas no espaço ela não estava, nos mais altos edifícios não fez morada, no interior dos palácios não habitava. Cansados de procurá-la, alguns disseram: «Ela não existe, é um sonho de sonhadores que nunca acordam.»
A felicidade bateu à porta de todos. Deu sinal de vida na história dos abatidos e dos animados, dos depressivos e dos sorridentes, dos que representam e dos que vivem sem maquilhagem. Sussurrando aos ouvidos do coração, ela disse baixinho: «Hei! Não estou no mundo em que você está, mas no mundo que você é!» Confusos, gritámos: «O quê? Importa-se de falar mais alto?» Como a voz de uma suave brisa ela balbuciou delicadamente: «Não me procure no imenso espaço nem nos recantos da Terra. Viaje para dentro de você mesmo. Eu escondo-me nas vielas da sua emoção, no cerne do seu espírito...»


A maioria das pessoas não compreendeu a sua linguagem. Esperavam que ela se manifestasse como o ribombar dos trovões. Mas ela ama o silêncio. Sorrateira, ela aparece quase imperceptível nas curvas da vida e nas coisas singelas da existência. Por não a conseguirmos compreender, navegamos sem leme. Desprezamo-la, mas ela resistiu. Maltratamo-la, mas ela, por um instante, apareceu e logo se dissipou. O resultado é que a felicidade habitou na alma de muitos por pouco tempo e na alma de poucos por toda a vida.
A felicidade tem muitas filhas e filhos: o amor, a tranquilidade, a sabedoria, a alegria, a paciência, a tolerância, a solidariedade, o perdão, a perseverança, o domínio próprio, a bondade, a autoestima. Nunca se viu uma família tão unida!


Se maltratar alguns dos seus membros, tem grandes hipóteses de perder a família toda. Se ferir o amor, perderá a tranquilidade; se a tranquilidade o abandonar, perderá a perseverança; se a perseverança partir, perderá a sabedoria; se a sabedoria se for, a autoestima dirá adeus.
Precisamos de aprender a conhecer o mundo da emoção para cultivar a felicidade. O mundo evolui com uma velocidade espantosa. A cada dez anos o conhecimento multiplica-se, derrubando mitos. Antigas «verdades» científicas perdem crédito e são abandonadas. Novas ideias substituem as anteriores. Tudo está tão veloz! Será que a emoção pode caminhar à mesma velocidade? Não! A felicidade é amiga do tempo. E preciso treinar a emoção para ser feliz.


Treinar a emoção é desenvolver as funções mais importantes da inteligência, tais como: aprender a gerir os pensamentos, proteger a emoção nos focos de tensão, pensar antes de reagir, colocar-se no lugar dos outros, perseguir os sonhos, valorizar o espetáculo da vida. Por que razão é que a solidão, a baixa autoestima, a ansiedade, a fadiga e a irritabilidade têm sido companheiras de jovens e adultos? Porque eles nunca treinaram as suas emoções para mudar os pilares da sua história. Muitos livros de autoajuda vendem uma ideia inadequada do que é ser feliz.

Augusto Cury

Amor,Luz e Paz

Como a carência emocional devora o amor


Lembra da última vez que sentiu fome? Quero dizer fome de verdade. Aquela fome que nos conduz e nos incita a comer muito como resultado. Curiosamente, algo análogo acontece a nível psicológico quando as pessoas foram privadas de amor na infância. O problema é que a “comida”, neste caso, são pessoas infelizes que são “devoradas” emocionalmente pelos famintos emocionais.

Em nome do amor

Sem dúvida, receber o amor é essencial para o bem-estar e a saúde emocional, especialmente para uma criança. A falta de amor durante a infância é muito grave, uma vez que ela altera profundamente o equilíbrio psicológico. Assim, ao atingir a idade adulta, essa pessoa vai agir movida pela falta e pela carência, ela vai tentar desesperadamente suprir isto através de relacionamentos de dependência, imaturidade e invasão.
O detalhe importante é que esta forma de agir não é consciente. O indivíduo em questão simplesmente acredita que está dando amor. Ele só sabe que ele precisa estar perto, muito perto do outro; mas tão perto, que invade a sua privacidade, se mete em todos os assuntos e vai além de seus limites, tanto físicos quanto emocionais. Resultado? Isso deixa os outros traumatizados.

Pais devoradores emocionais

Se para um adulto é suficientemente traumático ser vítima de uma fome ou carência emocional, o caso é muito mais grave quando uma criança está sob os cuidados de tais adultos. As crianças são extremamente vulneráveis, porque elas ainda têm que desenvolver os recursos emocionais e intelectuais que lhes permitam se proteger e se afastar do dano emocional.
Os comportamentos que estes tipos de pais têm com os filhos são:
– Superproteção
– Interferência nos seus assuntos pessoais
– Preocupação excessiva com a sua saúde deles
– Contato físico excessivo e permanente
– Isolamento social da criança
É claro que aspectos como a proteção, cuidados, etc. são indispensáveis, mas quando oferecidos corretamente. Na verdade, os comportamentos mencionados acima produzem efeitos devastadores no desenvolvimento normal da criança. Infelizmente, as crianças tornam-se ansiosas e dependentes, já que elas estão acostumadas a serem controladas e invadidas. Emocionalmente, podem ser bem explosivas ou inexpressivas. Além disso, a autoestima é baixa, porque elas não são tratadas com dignidade e respeito e, portanto, acreditam que os outros têm o direito de irem além de seus limites.
No futuro, estas crianças podem encontrar problemas graves para viverem em sociedade como adultos, tanto a nível profissional quanto emocional. Suas ansiedades, inseguranças e falta de recursos emocionais e sociais as colocarão em franca desvantagem contra os desafiantes do mundo exterior.

Amor verdadeiro

O verdadeiro amor é muito diferente. Ao invés de ser comedor e devastador como um incêndio, é nutritivo e construtivo. Ele é emocionalmente saudável, não sendo focado em carência emocional. Quando isto ocorre, os pais são sensíveis às necessidades da criança e se sintonizam com ela. Como resultado, a criança vai crescer segura, feliz e independente. Um pai que é capaz de dar “amor maduro e saudável” pode ser reconhecido pelas seguintes características:
– É compassivo com ele mesmo e com a criança
– Mantém uma distância saudável e está ciente dos limites entre os dois
– Trata a criança com respeito e não é abusivo nem superprotetor
– Permite à criança viver as suas próprias experiências, com supervisão, de acordo com sua idade
– A comunicação é fluida, espontânea e natural
Quando adultos, essas crianças serão capazes de ter intimidade e relacionamentos harmoniosos e estarão equipadas com todos os recursos emocionais e sociais para desenvolverem seus potenciais em diferentes áreas de suas vidas.
Embora seja muito doloroso enfrentar seu próprio vácuo emocional, isso é preferível a causar danos irreparáveis a pessoas inocentes, como as crianças. É necessário olhar para dentro e assumir a responsabilidade pelas próprias deficiências. No final, como seres humanos que somos, estamos todos – em maior ou menor medida – feridos, e será preciso curar diferentes aspectos de nós mesmos.


(Fonte: A mente é maravilhosa)
 Fraternos Abraços

quarta-feira, 23 de setembro de 2015

Autocontrole


Há cinco passos essenciais para o controle emocional:  
1.Ter consciência do surgimento da emoção que pode nos levar a irritação ou raiva;  
2. Reconhecer que somos criadores de nossas emoções e não alguém ou alguma coisa; 
 3. Aceitar plenamente a presença da emoção sem resistir;  
4. Desprender-se da emoção,deixar que ela se dissolva e perca o poder;  
5. Voltar a atenção para o centro de nós mesmos,onde a paz e força interior residem.”
 
Brahma Kumaris

Namastê



 

Solução


Quando nos deparamos com uma situação difícil,a mente se inunda de pensamentos. 
Falamos muito sobre isso e contamos o problema a todos que encontramos. 
Então o problema parece tão grande que sentimos que não podemos fazer nada para mudar a situação. 
Mas precisamos aprender a arte do silêncio (mental e verbal). 
O silêncio interno traz as soluções certas porque a mente está calma.
 Quando deixamos de contar o problema aos outros,descobrimos que somos capazes de encontrar a solução. 
O poder do silêncio torna possível o impossível.”
 
Brahma Kumaris

Namastê

 

Reflexão Introspectiva


Definir o que é amor e o que é apego é a dificuldade de muitos ...mas o amor deve ser livre...e dar liberdade do outro ser quem é.

Difícil?

Talvez para a grande maioria de nós seres humanos...

O amor liberta e é. 


O amor não dói. 

Se dói não é amor.

O apego aprisiona,gera ciúme,gera saudade,gera imposição,gera controle,gera julgamento,gera discussões e desentendimentos,gera ilusão,as vezes gera alucinações e paranoia que faz mal a quem sente e a figura do apego ( o outro ),e gera mais apego.


O amor ama o outro como ele é,gera liberdade,felicidade,gera amizade,gera compartilhamentos de sentimentos e de ideias,gera debates com entendimentos,gera respeito,paz e harmonia,e gera mais amor.


Giulie Gitana

Amor,Luz e Paz

terça-feira, 22 de setembro de 2015

30 frases para você ler quando estiver pensando em desistir


Todo mundo já passou por um momento em que a ideia de desistir ficava martelando insistentemente na cabeça. Dúvidas fazem parte da história de praticamente qualquer pessoa, inclusive algumas das mais bem-sucedidas que conhecemos – e muitas delas têm um pouco a nos ensinar sobre isso.
São frases, pensamentos e algumas ideias quase soltas que nos ensinam porque nós devemos parar de reclamar e aprender a olhar pra frente.


1. “Se você não está disposto a arriscar, esteja disposto a uma vida comum.
Jim Rohn

2. “Todos os seus sonhos podem se tornar realidade se você tiver coragem para persegui-los.”
Walt Disney

3. “Não é o mais forte que sobrevive, nem o mais inteligente.Quem sobrevive é o mais disposto à mudança.”
Charles Darwin

4. “Um homem de sucesso é aquele que cria uma parede com os tijolos que jogaram nele.”
David Brinkley

5. “Há dois tipos de pessoa que vão te dizer que você não pode fazer a diferença neste mundo:as que têm medo de tentar e as que têm medo de que você se dê bem.”
Ray Goforth

6. “O ponto de partida de qualquer conquista é o desejo.”
 Napoleon Hill

7. “Todo progresso acontece fora da zona de conforto.”
Michael John Bobak

8. “Daqui a vinte anos,você não terá arrependimento das coisas que fez,mas das que deixou de fazer. Por isso,veleje longe do seu porto seguro.Pegue os ventos.Explore.Sonhe.Descubra.”
Mark Twain

9. “Nosso maior medo não deve ser o fracasso,mas ser bem-sucedidos em algo que não importa.” Francis Chan

10. “Muitas das falhas da vida ocorrem quando não percebemos o quão próximos estávamos do sucesso na hora em que desistimos.”
Thomas Edison

11. “Coragem é a resistência ao medo, o domínio do medo – não a ausência do medo.”
Mark Twain

12. “Apenas deixe para amanhã o que você está disposto a morrer tendo deixado de fazer.”
Pablo Picasso

13. “Se você quer fazer uma mudança permanente,pare de se focar no tamanho de seus problemas e comece a focar no seu tamanho.”
T. Harv Eker

14. “Se você não tiver seu próprio plano de vida,é provável que caia no plano de alguma outra pessoa.E adivinha o que eles planejaram para você?Não muito.”
Jim Rohn

15. “A vida é uma viagem e se você se apaixona pela jornada, você estará apaixonado para sempre.” Peter Hagerty

16. “Muito do estresse que as pessoas sentem não vem de ter muito o que fazer.Ele vem de não terminar o que foi começado.”
David Allen

17. “Se você procura sua realização nos outros, você nunca será realizado.Se sua felicidade depende de dinheiro,você nunca será feliz consigo mesmo.Se contente com o que você tem;fique feliz com a maneira como as coisas são.Quando você perceber que não está faltando nada,o mundo pertence a você.”
Lao Tzu

18. “A arte de viver está menos em eliminar nossos problemas do que em crescer com eles.”
Bernard M. Baruch

19. “A felicidade não é uma estação em que você chega,mas uma maneira de viajar.”
Margaret Lee Runbeck

20. “A verdadeira felicidade não é alcançada através da auto-gratificação,mas através da fidelidade a um propósito digno.”
Helen Keller

21. “Todos nós recebemos relatórios de muitas maneiras diferentes, mas a verdadeira emoção do que você está fazendo está em fazê-lo. Não é o que você vai conseguir no final, é realmente em fazer, e amar o que você está fazendo.”
Ralph Lauren

22. “Faça algo que ame e você nunca mais precisará trabalhar na vida.”
Willie Hill

23. “A ansiedade é a vertigem da liberdade.”
Soren Kierkegaard

24. “Faça o que você sempre fez e você terá sempre o mesmo resultado.”
Sue Knight

25. “Nós evitamos as coisas das quais temos medo porque pensamos que haverão consequências desastrosas se as confrontarmos. Mas a verdadeira consequência desastrosa em nossas vidas vem de evitar coisas sobre as quais nós precisamos aprender ou descobrir.”
Shakti Gawain

26. “Muito melhor é arriscar coisas grandiosas para ganhar vitórias gloriosas – mesmo que estampadas pelo fracasso – do que se alinhar com aqueles espíritos pobres que nem aproveitam muito nem sofrem muito, porque vivem em uma penumbra cinzenta que não conhece nem a vitória nem a derrota.”
Theodore Roosevelt

27. “Eu não sei a chave para o sucesso, mas a chave para o fracasso é tentar agradar a todos.”
Bill Cosby

28. “O primeiro passo em direção ao sucesso é dado quando você se recusa a ser um prisioneiro do ambiente em que estava inicialmente.”
Mark Caine

29. “Sempre que você se encontrar ao lado da maioria, é tempo de fazer uma pausa e refletir.”
Mark Twain

30. “Se você ouve uma voz dentro de você dizer ‘você não pode pintar’, então pinte sem dúvida, e essa voz será silenciada.”
Vincent Van Gogh

(fonte:thesecret.tv.b)

Fraternos Abraços











Desafio


Muitas situações vêm como provas para nos tornar mais fortes. 
O mundo é como um oceano. 
Pode existir um oceano sem ondas? 
Existem ondas grandes, ondas médias e ondas pequenas. 
Algumas ondas vêm para pegar as coisas. 
Outras ondas vêm para jogar as coisas para fora. 
O mundo é igual. 
Diferentes situações vêm e continuarão a vir sempre. 
O importante é a experiência que acumulamos a cada desafio que decidimos enfrentar.”

Dadi Gulzar

Brahma Kumaris

Namastê 


segunda-feira, 21 de setembro de 2015

O que negamos nos prende,o que aceitamos nos transforma







As mudanças mais significativas começam a acontecer quando aceitamos as coisas como elas são; tanto a aceitação do que a vida nos dá, quanto a aceitação de nós mesmos.

Em nossas vidas que mudam constantemente, acontecem muitas situações nas quais não temos outra alternativa, a não ser aceitar as coisas como elas nos são dadas. O que acontece quando nos recusamos a aceitar as coisas da maneira como elas são?
Às vezes resistimos às mudanças, ao que já não faz parte do nosso controle; não podemos fazer nada para evitar, porque é algo que já aconteceu ou está acontecendo. A negação só irá nos trazer sofrimento.
As circunstâncias mais claras, onde a aceitação possui um papel fundamental, são a morte, o amor e a falta da afeição.
Como negar a morte, como negar uma paixão, como negar a falta de afeição? Pois bem, nos nós empenhamos em negar estas realidades, contra as quais nada podemos fazer se estiverem acontecendo.
Não se trata de situações boas ou ruins; são realidades próprias do ser humano, que fazem parte de nossas vidas; produzam elas alegria ou tristeza, a emoção e sua intensidade nos indicam o quão significativa essa experiência é para nós.

Se você não tiver força para impor suas próprias condições à vida, deve aceitar as que ela lhe oferece.
S. Eliot


Necessidade de entender

Nossa tendência, quando de trata do que escapa do nosso controle, é tentar dar uma resposta, conseguir uma explicação que nos alivie. Precisamos entender tudo aquilo que ocorre em nossas vidas.
Nos esquecemos de que tudo o que tentamos entender, vai ser o resultado de nossas interpretações e experiências, de explicações a que queremos dar um sentido para, finalmente, nos convencer e crer que essa é a nossa realidade.

Surpreender-se, estranhar-se, é começar a entender.
Jose Ortega y Gasset
Nos perdemos na razão e nas palavras, quando na verdade toda a realidade está dentro de nós; está no que sentimos, está na emoção que experimentamos. Ir até esse sentimento que nosso próprio corpo se encarrega de nos mostrar é aceitar a realidade do que nos acontece.
Tendemos a ir ao encontro do raciocínio para explicar certas questões como são as que têm relação com o amor; nós mesmos estabelecemos impedimentos e barreiras para não aceitarmos a realidade.
O entendimento é uma tabula rasa na qual não há nada escrito.
Aristóteles

O que acontece quando não aceitamos o que acontece conosco?

Quando enterramos estes sentimentos que não queremos atender, para que não fiquemos afundados em tristeza, fazemos isso por termos medo de que eles nos prendam e nos façam muito mal; um mal que acreditamos não sermos capazes de suportar e enfrentar. Assim, estamos negando nossa vivência, nossa existência.
Estamos enterrando nossa essência, deixamos presas muitas das emoções que precisam ser liberadas, precisam ser vividas e experimentadas.
Quando nós fazemos isso, estamos nos esquecendo de uma parte essencial da nossa humanidade: não aceitando nossas vulnerabilidades, pensamos que estamos acima delas.
O corpo se encarrega de nos dar sinais pertinentes em forma de alerta, para que, em algum momento, decidamos remover tudo aquilo que temos preso (raiva, tristeza, chateação, ira, etc.). Ao não fazê-lo, nossa energia, por sua vez, fica presa, e como resultado aparece a doença e a desconexão com nós mesmos e com a nossa felicidade.

Aprendendo a aceitar

O desenvolvimento pessoal e o aprendizado acontecem quando estamos dispostos a aceitar nossos sentimentos e emoções como eles são, sem passá-los pelo filtro da razão, de modo este que os modifique, os reprima e os apague.
Podemos considerar que a razão vai precisar oferecer uma explicação para o que está acontecendo, mas ao ficarmos ancorados estamos desviando a atenção do que experimentamos.
O verdadeiro aprendizado ocorre quando estamos dispostos a aceitar, deixando-nos sentir cada uma das emoções que brotam diante de cada uma das circunstâncias pelas quais passamos.
É assim que nos transformamos seguindo o fluxo da vida. Já que tudo aquilo que negamos e não estamos dispostos a aceitar nos submeterá à desvinculação com nós mesmos, com tudo o que isso implica.
Quando aceitamos os fatos inevitáveis em nossas vidas, podemos sentir a tristeza com grande intensidade, mas senti-la é exatamente o que nos libera dela, para seguirmos avançando e darmos lugar a novas emoções, vivências e experiências.
No momento em que começamos a aceitar o que nos acontece, começamos a aceitar a nós mesmos. Estamos preparados para, assim, perdoar aos outros e a nós mesmospara seguir fluindo em direção a novas experiências, deixando brotar a energia, deixando que nos sintamos vivos.
A razão não me ensinou nada. Tudo o que eu sei me foi dado pelo coração.
Leon Tolstoi

Por: Juliana Martinez
(fonte:amenteemaravilhosa.com) 

Fraternos Abraços





Encerrando ciclos...


Sempre é preciso saber: quando uma etapa chega ao final.
Se insistirmos em permanecer nela mais do que o tempo necessário, perdemos a alegria e o sentido das outras etapas que precisamos viver.

Encerrando ciclos, fechando portas, terminando capítulos, não importa o nome que damos.
O que importa é deixar no passado os momentos da vida que já se acabaram.

Foi despedido do trabalho?
Terminou uma relação?
Deixou a casa dos pais?
Partiu para viver em outro país?

A amizade tão longamente cultivada desapareceu sem explicações?
Você pode passar muito tempo se perguntando por que isso aconteceu.
Pode dizer para si mesmo que não dará mais um passo enquanto não entender as razões que levaram certas coisas, que eram tão importantes e sólidas em sua vida, serem subitamente transformadas em pó.
Mas atitude será um desgaste imenso para todos: seus pais, seu marido ou sua esposa, seus amigos, seus filhos, sua irmã…

Todos estarão encerrando capítulos, virando a folha, seguindo adiante, e todos sofrerão ao ver que você está parado.

Ninguém pode estar ao mesmo tempo… no presente e no passado, nem mesmo quando tentamos entender as coisas que acontecem conosco.

O que passou não voltará: não podemos ser eternamente meninos, adolescentes tardios, filhos que se sentem culpados ou rancorosos com os pais, amantes que revivem noite e dia uma ligação com quem já foi embora e não tem a menor intenção de voltar.

As coisas passam e o melhor que fazemos é deixar que elas realmente possam ir embora.
Por isso é tão importante (por mais doloroso que seja!) destruir recordações, mudar de casa, dar muitas coisas para orfanatos, vender ou doar os livros que tem.

Tudo neste mundo visível. é uma manifestação do mundo invisível, do que está acontecendo em nosso coração e o desfazer-se de certas lembranças significa também abrir espaço para que outras tomem o seu lugar.

Deixar ir embora.
Soltar.
Desprender-se.

Ninguém está jogando nesta vida com cartas marcadas.  Portanto, às vezes ganhamos e às vezes perdemos.
Não espere que devolvam algo, não espere que reconheçam seu esforço, que descubram seu gênio, que entendam seu amor.

Pare de ligar sua televisão emocional e assistir sempre ao mesmo programa, que mostra como você sofreu com determinada perda: isso o estará apenas envenenando e nada mais.

Não há nada mais perigoso que rompimentos amorosos que não são aceitos, promessas de emprego que não têm data marcada para começar, decisões que sempre são adiadas em nome do “momento ideal”.
Antes de começar um capítulo novo é preciso terminar o antigo: diga a si mesmo que o que passou, jamais voltará.

Lembre-se de que houve uma época… em que podia viver sem aquilo, sem aquela pessoa…
Nada é insubstituível, um hábito não é uma necessidade.
Pode parecer óbvio, pode mesmo ser difícil, mas é muito importante.

Encerrando ciclos.
Não por causa do orgulho, por incapacidade, ou por soberba.
Mas porque simplesmente aquilo já não se encaixa mais na sua vida.
Feche a porta, mude o disco, limpe a casa, sacuda a poeira.
Deixe de ser quem era, e se transforme em quem é…

Por Paulo Coelho

Fraternos Abraços

domingo, 20 de setembro de 2015

Carta ao amor próprio: eu sou eu,você é você


“Eu sou eu.
Você é você.
Eu não estou neste mundo para atender às suas expectativas
Você não está neste mundo para atender às minhas.
Você é você.
Eu sou eu.
Se em algum momento ou em algum ponto nos encontrarmos
Será incrível.
Se não, não há o que fazer.
Deixo de dar amor a mim mesmo
Quando na tentativa de agradá-lo, eu me traio.
Deixo de dar amor a você
Quando insisto que sejas como quero
                                           Ao invés de aceitá-lo como você realmente é.
                                                              Você é você e eu sou eu”.



Estas palavras foram escritas por Fritz Perls, um grande neuropsiquiatra psicanalista que, juntamente com sua esposa Lore Posner, se esforçou para explicar-nos de uma forma simples como criamos nosso mundo. Juntos, eles procuraram nos fazer entender que querendo agradar aos outros nos tornamos nossos próprios carrascos e que avaliar os nossos próprios sentimentos como verdadeiros e importantes, é o primeiro passo para nos entendermos e seguirmos em frente.
A verdade é que as mentiras que mais nos prejudicam não são as que contamos, mas as que vivemos. Há momentos em nossas vidas nos quais podemos cair na armadilha de viver em uma realidade falsa, na qual, às vezes, até mesmo nós podemos passar a acreditar.
Viver trancado na jaula que nós mesmos criamos significa acreditar em alguns valores e promulgar outros, nos mostrarmos fortes mas não estarmos, sentir medo e dissimulá-lo, mostrar interesse mesmo sem tê-lo, e uma infinidade de possibilidades.
Podemos refletir a nossa falta de autenticidade em muitos momentos de nossa vida. É tão simples quanto negar que comemos a última porção de chocolate que estava no armário ou que não fomos nós os primeiros que encontramos a persiana quebrada.


Por que a falta de autenticidade é tão comum?

Na realidade, isso está intimamente relacionado com a maneira como nossos pais e a sociedade nos educaram desde a infância. Desde o nosso nascimento, temos sido doutrinados a reprimir os nossos sentimentos e as nossas emoções, a evitar expressar o que é real para nós e o que realmente sentimos.
Nós criamos um exterior que não parece em nada com a realidade que vivenciamos no interior. Muitas vezes acontece que os nossos ideais não são aqueles pelos quais lutamos, e que as nossas ideias, nossos medos e os objetivos de uma vida não correspondem ao que realmente manifestamos…
Tudo isso afeta negativamente nosso desenvolvimento vital, e apenas nos incentiva a usar uma máscara que temos desde a infância. Em geral, nossos pais e professores nos ensinaram a rejeitar determinadas emoções como a raiva, o medo ou, até mesmo a dor, que nos levou a escondê-las.
Por esta razão acreditamos que podemos nos tornar indiferentes a essas emoções, quando na verdade não é bem assim. O medo, a dor ou a raiva estão sempre lá e representam grande parte da nossa experiência de vida. No entanto, temos a tendência de nos mostrarmos fortes e reprimirmos emocionalmente a frustração e a manifestação de dor.
Outra contradição que absorvemos como esponjas desde criança é se é ou não é bom mentir. Os mais velhos sempre mentiam enquanto falavam para não mentirmos. Aos poucos fomos tomando consciência disso e percebendo que tínhamos que aceitar as mentiras e, por vezes, também colaborar com elas. Assim, temos assumido essa opção como natural, embora nos sintamos muito mal e só obtenhamos um pequeno benefício em um momento muito oportuno, isso quando conseguimos obter algo.


O amor próprio

Manter nossa autoestima bem alta e mostrar como realmente somos não irá agradar a todo mundo, mas dessa forma iremos construir relacionamentos reais, puros, abertos, honestos e independentes.
Aceitarmos e nos comprometermos com quem realmente somos fará com que consigamos não ter medo do que queremos e de quem somos, a nos expressar para quem quiser nos ouvir, mas também despertará a inveja daqueles que não se atreveram a unificar sua verdade interior com a verdade externa.
É verdade que os desafios não são para todos, mas todos podemos experimentá-los e até mesmo vencê-los; depende de nós. Ser autêntico e manter sua autoestima saudável ajudará a afastar a mentira, incentivando-o a ser o mesmo em todos os momentos e não deixando faltar o amor que você deve a si mesmo, o amor próprio.

Por: Rodrigo
(fonte:http://amenteemaravilhosa.com)
Fraternos Abraços

3 Feridas que nunca cicatrizam e o amor que não pode ser eterno



amores destinados a não ser… a ter início e final. São como tempestades de verão cheias de intensas emoções, de uma chuva refrescante que alivia o calor intenso, uma sede não saciada. No entanto, quando as nuvens cessam, longe de deixar a umidade de um campo onde a natureza pode florescer, abre-se um campo estéril e com rachaduras. Onde não crescerá nada durante muito tempo.
Há amores que passam como um vento suave, outros finalizam com uma distância serena e amável, por mútuo acordo, mas há alguns que deixam vazios dolorosos que nos ferem por dentro e nos mudam.
Falemos disso hoje, analisemos os “efeitos secundários” que as relações afetivas podem nos deixar em forma de sequelas, e do que vale a pena ter em conta para nos fazer refletir.

Uma reflexão sobre as feridas emocionais

1. É verdade que aprendemos com todo fracasso emocional?

Lemos e frequentemente escutamos… Não há melhor professor que a dor, não há melhor aprendizagem que a dor vital em algum em algum momento de nossa existência, para podermos, assim, avançar com maior segurança sabendo o que é a vida, entendendo um pouco melhor as pessoas.

E, de fato, estamos de acordo. Entretanto, há um aspecto que devemos ressaltar. Nem todas as pessoas adquirem uma “aprendizagem positiva”, nem todo mundo consegue entender assim. Após um término, um desencontro, precisa-se de um certo tempo para poder voltar a levantar o olhar com segurança, é necessário passar por um luto, por um processo interno onde “nos reconstruímos por dentro”.

O que ocorre nesses casos? Que longe de sairmos fortalecidos, saímos com sequelas. Quando alguém nos faz mal, aprendemos a usar uma armadura, quando mentem para nós, aprendemos a desconfiar, quando cortam as asas do nosso crescimento pessoal, evitamos nos abrir para outras pessoas.
Obtemos, então, um aprendizado com esse amor que não pode ser eterno? Naturalmente, sim, mas nem sempre é um aprendizado positivo, então devemos prestar muita atenção em como vamos nos “reajustar” a nossa realidade.

Não se deixe arrastar por essas cognições negativas, seja sempre resiliente para abrir portas a novas oportunidades.


2. A perda da inocência

Perder a inocência é perder parte dessa ilusão sincera e livre de preconceitos com os demais, com as novas relações que podem aparecer com plenitude e emoção. Após um fracasso afetivo e a perda de um amor no qual depositávamos tanta esperança, uma parte de nós vai , irremediavelmente, envelhecer.

Poucas coisas podem ser mais desesperançosas que permitir que nosso ser interior envelheça, deixando, assim, que apareçam lascas em nosso coração, as fissuras e a terra estéril onde nada cresce. É aí onde vagará, a partir de agora, uma densa amargura, onde será muito difícil voltar a receber amor com a ilusão do passado.

É bom ser prudente e cauteloso, não há dúvidas, mas se perdermos por completo a inocência, deixaremos a nossa “criança interior” escapar, e junto sua espontaneidade, algo tão fresco e inato, onde as  relações vivem com mais intensidade.


3. Vazios eternos

Os amores que nunca puderam realmente ser eternos são vazios, sem forma, habitados por sonhos perdidos e decepções.  Por um tempo perdido, mas constante, relembrados e evocados. É possível se recuperar, iniciar, inclusive, novas relações e novos projetos de vida.

A felicidade sempre volta com maravilhosas segundas partes que todos nós merecemos aproveitar, mas há algo que se esconderá a cada dia de nossas vidas em algum canto do nosso coração e de nossa memória, e a esse algo damos o nome de “vazios”. Porque eles são como aqueles caminhos que escolhemos acreditando que iríamos concretizar vários projetos tão sonhados, para, no final, não termos mais remédio a não ser fazer uma mudança de sentido, ao mesmo tempo drástica e dolorosa.

E, no nosso cérebro, sempre estará esse caminho impossível fazendo parte de nós e de quem nós somos. É como ter duas vidas paralelas, a real e a das lembranças que não podemos apagar, mas que, em essência, fazem parte de quem somos.

Os vazios sempre estarão e, como tal, devemos aceitá-los. Eles são aquelas feridas que não cicatrizaram, mas com as quais devemos aprender a conviver, integrando-as e aceitando-as, mas evitando que se tornem buracos negros.

Deixe que sejam vazios pelos quais emerge um vento suave e perfumado que relembramos de vez em quando, mas só durante alguns segundos. Depois, avance no aqui e no agora, onde, sem dúvidas, está a sua verdadeira felicidade.

Por: Juliana Martinez
(fonte:http://amenteemaravilhosa.com)
Amor,Luz e Paz


 



sábado, 19 de setembro de 2015

Suco para perder a barriga



Para desinchar a região abdominal

SUCO
Ingredientes:
100g de abacaxi;
20g de erva-cidreira;
140ml de água de coco.


Preparo:
Faça o chá da erva-cidreira em 100ml de água fervida,deixe esfriar e leve à geladeira.
Depois que estiver gelado,coloque o chá,o abacaxi e a água de coco.
Bata tudo no liquidificador (caso queira,coe) e sirva.


Para acelerar o metabolismo

SUCO
Ingredientes:
200ml de chá verde;
100ml de suco de limão;
Raspas de gengibre.

Preparo:
Bata tudo no liquidificador,coe e sirva.

Fraternos Abraços

O que passou,passou


      Desprenda-se do passado e alimente o que está no seu presente. Viver aqui e agora é o caminho mais curto para construir a própria felicidade.




      Você é daquelas que vivem apegadas ao que já aconteceu e não volta mais? Nossa, se você soubesse o quanto está acabando com a própria felicidade… É, porque se ficarmos atados,presos às energias do passado, a vida dificilmente vai fluir. E quer saber? Saudosismo está fora de moda.




      Sim, nós nunca devemos nos esquecer de onde viemos, de tudo que fizemos e dos vários caminhos que percorremos durante a vida. Não podemos esquecer, sobretudo, das nossas vitórias, quedas e lutas. Também temos de cultivar a memória das pessoas que conhecemos. Isso se chama reconhecimento e aprendizado. O grande problema é quando cultuamos o passado e deixamos de alimentar o nosso presente.




      Ora, é como se a todo instante abríssemos a gaveta da nossa história. O que isso tem de enriquecedor? Nada: isso é puro atraso de vida! Pessoal, vamos exercitar o desprendimento. Tenha a certeza de que tudo ficará mais claro se você caminhar com o coração renovado. Não é tarefa das mais fáceis. É preciso ter coragem e ousadia. Diga a si mesma: “Eu não preciso mais disso. Esse passado não me traz nenhum benefício. E quando só restarem as lembranças das alegrias, do bem que os outros fizeram, das rosas secas (mas carregadas de amor), haverá mais espaço para novas experiências e novos encontros”.




      Ih… já sei. Você ainda pensa naquele amor que viveu. Tudo bem, vou ensinar a você um exercício para se libertar dele. Desligue-se de tudo, sabendo que a mente não tem limites. Em pensamento, chame essa pessoa de volta. Imagine que você está segurando as mãos dela. É natural que as emoções comecem a aparecer. Chore se tiver vontade. Mentalmente, diga à pessoa tudo que você sente. Agradeça pelas coisas boas que ela trouxe à sua vida. Algo feriu seu coração? Diga também. Fale tudo que você esperava para o futuro: “Eu gostaria…”. E assuma sua decepção: “Eu estou decepcionada porque nós não poderemos [complete a frase]”. Sinta o seu corpo aberto — permita que seus sentimentos venham à tona, como se fizesse uma limpeza interior.




      Chegou a hora de aceitar totalmente a realidade. Sinta esse amor dentro de você — um amor que deixa a pessoa partir. Um gesto gracioso de soltar. Diga a essa pessoa: “Agora você pode ir. Eu vou ficar bem”. Aos poucos você vai se sentir limpa, honesta e tranquila, como quem respeita a vida e é respeitada por ela. Vá voltando, respirando fundo e soltando o ar. Deixe ir, junto com o ar, a imagem da pessoa, o cansaço, a dor e a angústia. Você vai notar como se sentirá mais aliviada.




      Outro trabalho simples e efetivo para deixar o passado partir é pronunciar a palavra “harmonia“. Mas precisa ser uma harmonia de coração. Harmonia é a crença de que podemos fazer tudo pelo nosso bem — sem estresse, guerras ou briga. Harmonia é estar centrada na paz, de uma maneira inteligente. Vamos lá, pronuncie: HARMONIA. Uma vez estabelecida, essa energia positiva começará a fluir. Com certeza você ficará bem, equilibrada, leve e solta. Sem amarras, sem apegos. No presente. E o melhor de tudo: feliz!

Por Luiz Antonio Gasparetto

Fraternos Abraços 

Quando Me Amei de Verdade


Quando me amei de verdade, compreendi que em qualquer circunstância, eu estava no lugar certo, na hora certa, no momento exato.E então, pude relaxar
Hoje sei que isso tem nome… AUTOESTIMA.

Quando me amei de verdade, pude perceber que minha angústia, meu sofrimento emocional, não passa de um sinal de que estou indo contra minhas verdades.
Hoje sei que isso é…AUTENTICIDADE.

Quando me amei de verdade, parei de desejar que a minha vida fosse diferente e comecei a ver que tudo o que acontece contribui para o meu crescimento.
Hoje chamo isso de… AMADURECIMENTO.

Quando me amei de verdade, comecei a perceber como é ofensivo tentar forçar alguma situação ou alguém apenas para realizar aquilo que desejo, mesmo sabendo que não é o momento ou a pessoa não está preparada, inclusive eu mesmo
Hoje sei que o nome disso é… RESPEITO.

Quando me amei de verdade comecei a me livrar de tudo que não fosse saudável… Pessoas, tarefas, tudo e qualquer coisa que me pusesse para baixo. De início minha razão chamou essa atitude de egoísmo. Hoje sei que se chama… AMOR PRÓPRIO.

Quando me amei de verdade, deixei de temer o meu tempo livre e desisti de fazer grandes planos, abandonei os projetos megalômanos de futuro.Hoje faço o que acho certo, o que gosto, quando quero e no meu próprio ritmo.
Hoje sei que isso é… SIMPLICIDADE.

Quando me amei de verdade, desisti de querer sempre ter razão e, com isso, errei muitas menos vezes. Hoje descobri a… HUMILDADE.

Quando me amei de verdade, desisti de ficar revivendo o passado e de preocupar com o futuro. Agora, me mantenho no presente, que é onde a vida acontece.
Hoje vivo um dia de cada vez. Isso é… PLENITUDE.

Quando me amei de verdade, percebi que minha mente pode me atormentar e me decepcionar. Mas quando a coloco a serviço do meu coração, ela se torna uma grande e valiosa aliada.
Tudo isso é… SABER VIVER!

Por Charles Chaplin

Amor,Luz e Paz

sexta-feira, 18 de setembro de 2015

A borboleta azul


Havia um viúvo que morava com suas duas filhas curiosas e inteligentes.
As meninas sempre faziam muitas perguntas.
Algumas ele sabia responder, outras não.
Como pretendia oferecer a elas a melhor educação, mandou as meninas passarem as férias com um sábio que morava no alto de uma colina.
O sábio sempre respondia às perguntas sem hesitar.
Impacientes com o sábio, as meninas resolveram inventar uma pergunta a que ele não saberia responder. Então, uma delas apareceu com uma linda borboleta azul que usaria para pregar uma peça no sábio.
- O que você vai fazer? perguntou a irmã.
- Vou esconder a borboleta em minhas mãos e perguntar se ela está viva ou morta.
Se ele disser que ela está morta, vou abrir minhas mãos e deixá-la voar.
Se ele disser que ela está viva, vou apertá-la e esmagá-la.
E assim qualquer resposta que o sábio nos der estará errada!
As duas meninas foram, então, ao encontro do sábio, que estava meditando.
Tenho aqui uma borboleta azul. Diga-me sábio, ela está viva ou morta?
Calmamente o sábio sorriu e respondeu:
- Depende de você.
Ela está em suas mãos.
Assim a nossa vida, o nosso presente e o nosso futuro.
Não devemos culpar ninguém quando algo dá errado.
Somos nós os responsáveis por aquilo que conquistamos ou não.
Nossa vida está em nossas mãos, como a borboleta.
Cabe a nós escolher o que fazer com ela.

Autor Desconhecido

Amor,Luz e Paz

A Mulher Histriônica



A mulher histriônica não consegue viver sem atenção. Carente, ela acredita que só é feliz recebendo atenção a todo instante, e acredita que somente receberá esta atenção se agir e por caminhos extremos. Ela se considera um "nada", caso fique sem atenção. Essa mulher sente profundo aborrecimento, ira e tristeza caso se sinta ignorada, excluída, rejeitada, confrontada ou abandonada.

Aparentemente muito simpática e divertida, ela tende a entreter as pessoas para que não notem seus pontos fracos. Acredita que animando, divertindo ou ajudando outras pessoas, receberá atenção e será vista como especial. Por vezes, é egoísta e tende a fazer apenas aquilo que lhe dê recompensa e, de preferência, imediata. Ela pode ajudar outras pessoas, fazendo-se de caridosa ou humilde para assim ter a atenção recompensada ou ser "indispensável" na vida daqueles que ajuda.


Por vezes, mostra-se interessada por determinada pessoa apenas porque sabe que esta dará aquilo de que necessita, mas quando cansa, enjoa ou obtém o que desejava, a deixa friamente, sem maiores explicações ou culpabilizando-a.


De forma geral, a mulher histriônica tem uma grande imaturidade emocional. Ela cresce fisicamente, mas por algum motivo, deixa de crescer emocionalmente. Contudo, diferente da imaturidade emocional causada por uma "superproteção" que pode ser revertida, nos transtornos de personalidade é muito difícil o amadurecimento acontecer, exatamente porque os traços e modo de viver dessas pessoas são muito inflexíveis e desajustados. O mundo parece ser centralizado em si e todos os cuidados devem devem ser voltados a ela. Somente sua opinião deve ser levada em consideração. Seus interesses estão no centro de tudo e a ira voltada contra aqueles que assim não pensam, é grande.


As características mais evidentes de imaturidade emocional encontrada na histriônica podem ser o imediatismo, a inconstância, atitudes infantis, impulsividade, exploração da sedução, oscilações do humor e opiniões, baixa tolerância à rotina e monotonia, deixar-se levar facilmente pelas emoções e intuição, vaidade, necessidade constante de atenção apenas para si, hedonismo, egocentrismo e egoísmo, dramatismo, intolerância às frustrações e decepções, relacionamentos superficiais, manipulação para conseguirem o que querem, incapacidade de ficar só. Ela tem sempre um comportamento voltado a atrair atenção, prazer e sedução, com uma capacidade de mudar comportamentos em função do que esperam dela.


Pela própria natureza masculina, a mulher histriônica costuma ser excessivamente sedutora para os homens, encantando-os e apaixonando-os facilmente, logo no primeiro encontro. Quem se apaixona por uma histriônica, porém, deve preparar-se para virar um capacho, sempre à sua disposição, que aceita o inaceitável e torna-se uma fonte inesgotável de coisas materiais e facilidades, já que são ávidas também por dinheiro, favores, status e popularidade.

Resultado de sua insegurança e imaturidade emocional, a mulher histriônica tem uma preocupação excessiva com sua aparência física e teme "ficar feia". Vive numa busca incessante de perfeição física que, de certa forma, acaba tornando-a fútil, pois é obcecada pela beleza. Gasta, desta forma, muita energia e dinheiro com tudo o que leva à perfeição física. Com o seu dinheiro ou de alguém que se preste a bancar, recorre a tratamentos e cirurgias estéticas, atividade física constante, roupas, sapatos, cosméticos, tudo de forma exagerada e doentia, que transcende aquilo que uma mulher normal faria por asseio e cuidados saudáveis.


Com o intuito desesperado de despertar desejo, fazem de tudo para impressionar. Normalmente não se preocupam em impressionar pela intelectualidade, mostrando-se fúteis, banais e desculpando a falta de intelectualidade de forma quase infantil, o que pode ser perigosamente sedutor para alguns homens, que verão nesse comportamento fragilidade e necessidade de protegê-la. Armadilha letal.


Essa mulher tem como passatempo predileto provocar sensualmente, a fim de atrair o maior número de olhares possíveis para si. Camufla por trás desse comportamento chamativo ou provocante, a necessidade de se sentir amada.

Porque a sensualidade é um ponto muito explorado por ela, facilmente entra em jogos de sedução, usa roupas provocantes (decotes, vestidos, roupas curtas e extremamente femininas) em variados contextos e, em muitos deles, inapropriados.

A histriônica pode seduzir não apenas homens pelos quais demonstra um interesse sexual ou romântico. Com frequência erotiza até relações não-sexuais com indivíduos de variados relacionamentos sociais tais como amigos ou profissionais médicos, dentistas, chefes de trabalho, mestre, professor e etc, tudo para conseguir um tratamento privilegiado ou obter uma vantagem qualquer, vez que o sentimento de merecimento nela é exacerbado.

É notável também que, pela exímia capacidade em "interpretar personagens", a histriônica podem representar papéis de desatenta, boba, ingênua, necessitada ou até portadora de doenças graves. É a "rainha do drama". Esta teatralidade tem o objetivo de manipular, usurpar, ser atendida ou apenas obter atenção.

Além de aparência, gestos, palavras e posturas extremamente eróticas, usam dramatizações e teatralidade, exagerando emoções pouco sentidas ou sequer vivenciadas. As emoções são sempre demonstradas de forma excessiva, tendendo sempre à intimidade exagerada, mesmo quando esta nem existe.


Homens doadores, sonhadores e idealistas são mais propensos a caírem na teia desta mulher. Mas as mudanças rápidas e superficiais na expressão das emoções podem levá-la a demonstrar grande paixão por seu parceiro, para imediatamente demonstrar desinteresse na relação, levando-o à raiva, confusão mental e frustração.

Lucy Rocha

(fonte:www.facebook.com/NarcisismoPatologicoERelacoesToxicas)

Fraternos Abraços