Psicanálise



Sigmund Freud * O Pai da Psicanálise 

O que é Psicanálise? 

A Psicanálise surgiu na década de 1890, por Sigmund Freud, através de conversas com pacientes, Freud acreditava que seus problemas originaram-se de uma não aceitação de tais acontecimentos em sua vida, sendo assim, reprimindo seus desejos no inconsciente, nascendo daí uma fantasia.

O método básico da Psicanálise é o cliente numa postura relaxada, é solicitado a dizer tudo o que lhe vem à mente: sonhos, esperanças, desejos, fantasias, como também as experiências vividas nos primeiros anos de vida em família.

Geralmente o analista simplesmente escuta, fazendo comentários somente quando no seu julgamento profissional visualiza uma oportunidade para que o cliente tome conscientes os conteúdos reprimidos que precisam ser esclarecidos.

Escutando seu cliente o analista tenta manter uma atitude de neutralidade.

Uma postura de não-julgamento visando criar um ambiente seguro.

Tendo como propósito descobrir as necessidades, complexos, trauma e tudo aquilo que perturba o equilíbrio emocional do indivíduo e que se encontra recalcada (afastada e presa) no inconsciente, visando a reeducação afetiva da pessoa, por meio da conscientização dos motivos que a levam a ter determinados comportamentos ou sintomas.

A Análise consiste essencialmente na evidenciação do significado inconsciente das palavras, ações e produções imaginárias (sonhos, fantasias, etc.) de um indivíduo.


A PSICANÁLISE É A MEDICINA DA "ALMA" DO NOSSO SÉCULO! 

A Psicanálise acredita que nossos Comportamentos e Sentimentos são Regidos por Desejos Inconscientes. Para analisar os conteúdos Inconscientes, é preciso acessar os Instintos, Anseios e Impulsos que fornecem a Energia para as Ações.

Sigmund Freud (1856-1939), criador da Psicanálise, era Médico Neurologista. Segundo ele, o Inconsciente é a fonte de Energias, Desejos Reprimidos, Recalques e Velhas Lembranças. Ele realizou muitas descobertas de sua Teoria fazendo auto-análise, ele também analisou rigorosamente seus sonhos e os de seus pacientes.

O objeto de Estudo da Psicanálise é o Inconsciente, e a Análise é realizada por meio da fala do paciente e da associação livre dos pensamentos dele pelo Psicanalista.


NÍVEIS DE CONSCIÊNCIA 

Consciente: 

é apenas uma parte de nosso funcionamento Mental, o que temos Consciência do que pensamos, do que Sentimos, do que Falamos e do que Fazemos, sendo constituído pelas ideias que estamos Cientes no momento.

Pré-Consciente: 

é constituído por Ideias Inconscientes que podem se tornar conscientes quando direcionamos a Atenção para elas, podendo ser percebidas nos sonhos ou nos atos falhos.

Inconsciente: 

é a grande parte que Não Temos Consciência, onde estão guardados os desejos reprimidos, os conteúdos censurados e as pulsões Inacessíveis à Consciência, que influencia nossos Comportamentos e Ações, sem que a gente perceba.


FORMAÇÃO DO INCONSCIENTE 

Id: 

é onde está o nosso Desejo Libidinal, são todas as Energias Psíquicas e Pulsões que possuem como intuito a Obtenção do Prazer


Ego
("eu", em grego): 

é resultante da tentativa de Estabelecer Equilíbrio entre os desejos do id e as exigências da Realidade e ordens morais do super-ego; na prática o que queremos é viver todo o tempo é o "id" (os desejos),mas há o "super-ego" para nos proibir, e o "ego" surge como resultante da tensão entre id e super-ego.


Super-Ego: 

é o representante das Regras Morais que nos impedem a realizar desejos, que nos geram proibições e limites por meio de regras morais.


TERMOS PSICANALÍTICOS 

Cartase
(do grego kátharsis): 

purgação, purificação, limpeza (pôr para fora o sentimento); efeito provocado pela conscientização de uma lembrança fortemente emocional e/ou traumatizante que era até então reprimida.

Método Catártico: 

lembra-se do afeto causador e purga para fora o evento; purga as emoções e fica aliviado.

Defesa: 

expulsa da consciência a lembrança (representação e afeto), não permite que a lembrança que é inadmissível (à moral ou aos "bons costumes") e seu afeto tomem a consciência; é um ato intencional do sujeito (inconsciente), que desloca o afeto para outra coisa.


Mecanismo de Defesa: 

quando um comportamento ou pensamento é reprimido, expulso da consciência, quando o afeto é dissociado de sua representação pode se converter em algo somático (histeria) ou numa obsessão (neurose).


A PSICANÁLISE É , EM ESSÊNCIA, UMA CURA PELO AMOR! 
Sigmund Freud

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Grata pelo contato.
Responderei brevemente.
Fraternos Abraços